domingo, 1 de julho de 2018

RELAÇÕES HUMANAS NO MUNDO DO TRABALHO






            Relações Humanas é tema atual e de objetiva importância no mundo do trabalho. Em todos os lugares, onde existe um agrupamento de pessoas, o assunto é falado, quer seja nas empresas, clubes, escolas, instituições de ensino superior, igrejas e na sociedade em geral. É temática sempre  recorrente ao sucesso no mundo do trabalho. Ao se pensar em valores humanos, abre-se um leque sobre o assunto, pois várias são as interpretações e concepções para tal, bem como sua aplicação na sociedade e em especial na sua “degradação” que é visível. Mas quais seriam estes valores humanos? Pode-se descrever como valores tudo o que é importante para a vida do ser humano, seja no campo material ou espiritual, sendo destacados alguns em especial como ética, verdade, integridade, justiça, paz e amor.
            Assim, onde há duas pessoas existe um relacionamento. Onde há mais pessoas a necessidade harmoniosa entre elas se faz mais necessária. Isso porque é visível, em grandes grupos, a rivalidade, a hostilidade, a disputa desigual, a ausência de compreensão e tolerância. Tanta gente carrega extremada vaidade, egoísmo, arrogância. E ao julgar-se um deus na terra, pode, logicamente, menosprezar pessoas. Ainda há os que levam a vida a culpar os outros de seus insucessos. Há aqueles sem tempo para o tempo e sem alegria para olhar no rosto do outro. Esses são alguns pontos a serem minimizados nas relações de trabalho.
            Em tal cenário, não vale ter a melhor tecnologia, a melhor localização, recursos financeiros abundantes, massa trabalhadora bem titulada se não há pessoas motivadas. Os recursos financeiros e tecnológicos serão inoperantes se os HUMANOS que trabalham e forem considerados simples “recursos humanos” e não pessoas. Esses recursos humanos necessitam tratados como GENTE, como pessoas inteligentes, que têm muito a contribuir.
            Dessa forma, os HUMANOS, em qualquer local de trabalho, devem ser tratados como ativos intangíveis, como valores infinitos e inesgotáveis, e não como ativos tangíveis, com valor absoluto e finito. Pois não se pode perder de vista que as relações humanas, em todos os níveis, são complexas e difíceis. Todavia, se bem trabalhadas e motivadas, os resultados logo se farão sentir. Quem trabalha com prazer, confiança, motivação, elogio, o resultado  irá impactar, positivamente, na vida da instituição/empresa e, consequentemente, na vida de cada membro daquele grupo social.
            Assim, aquele que trabalha com satisfação, competência, deve ser valorizado, elogiado, sob pena daquele que não faz nada ficar no nível de quem faz muito. É preciso estabelecer diferenças entre aquele que trabalha e o que nada faz, evitando-se que todos caiam no mesmo saco. Pois um funcionário, um servidor insatisfeito é um inimigo em potencial. Então é melhor fazer amigos, não ‘passando a mão na cabeça’, mas valorizando o potencial de cada pessoa, estimulando-a a ser cada dia melhor.
            Por isso tudo é melhor fazer do servidor um amigo  e não um inimigo. Fazer do colega um amigo. Logicamente que essa amizade deve ser desinteressada, mas quando se é amigo de verdade o benefício da amizade é a consequência dela. Nesse sentido, um  administrador, um chefe, um patrão, um funcionário deve observar algumas regras básicas para obter sucesso no mundo do trabalho.
            PRIMEIRA REGRA - Colegas passam, mas inimigos são para sempre. A chance de uma pessoa se lembrar de um favor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano. Cinco anos depois, o favor será esquecido. Mas a chance de alguém se lembrar de uma desfeita se mantém estável, não importa quanto tempo passe.
            SEGUNDA REGRA: A importância de um favor diminui com o tempo, enquanto a importância de uma desfeita aumenta. Favor é como um investimento de curto prazo. Desfeita é como um empréstimo de longo prazo. Assim, todo o cuidado é pouco. Importante fazer amigos no trabalho, respeitar e valorizar o bom trabalhador.
            TERCEIRA REGRA: Um colega não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece um amigo. Amigo é aquela pessoa que liga para perguntar se a pessoa está precisando de alguma coisa, se está bem, como vai no trabalho, etc.
            Portanto, profissionalmente falando,  o sucesso no trabalho consiste, essencialmente, em não fazer inimizades. Porque, por uma infeliz coincidência biológica, os poucos inimigos são exatamente aqueles que têm boa memória. Então, é melhor não fazê-los, trabalhar em prol da grandeza de todos, elogiando os grandes e oportunizando o crescimento dos ‘pequenos’. Dizer: “bom dia”, ‘obrigada”, ‘com licença”,”como vai”, “tudo bem”, “isso é ótimo”, demonstra EDUCAÇÃO e SABEDORIA.
            Jürgen Habermas (1997) aponta a linguagem, e não o trabalho, como o ponto central nas relações humanas. A fala é processo primordial que permite aos seres humanos se relacionarem dando sentido a própria vida. As pessoas, através do trabalho, constroem laços que estão presentes na reprodução da sua própria existência, no ato laborativo de suas vidas. O trabalho é uma forma de existência exclusivamente humana.
Mas a realidade é que muito se fala e pouco se pratica quanto a valores, pois teorias são inúmeras, mas as práticas são possíveis de serem contadas. A própria mídia se preocupa mais em mostrar a degradação ao invés de mostrar a construção dos valores humanos. Só teremos uma sociedade justa e fraterna quando unirmos forças para formar e também resgatar cada valor do ser humano, através do conhecimento e aprimoramento deste conceito dentro das ciências, das artes, da religião e da gestão como um diferencial de qualidade para a produtividade e para a vida dentro de cada organização.

DICAS DE GRAMÁTICA
QUANDO ALGUM É NENHUM?
- A posição de uma palavra na frase pode mudar totalmente seu sentido. Vejamos:
a) Quando algum vem antes do substantivo — eu tenho algum dinheiro — é porque eu tenho um pouco de dinheiro.
b) Quando algum vem depois do substantivo -  não tenho dinheiro algum  -- significa o contrário, que  estou sem nenhum dinheiro.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

O NOME DE UMA PESSOA DETERMINA O SEU DESTINO?




A ideia de que o nome das pessoas está entrelaçado com o destino é algo tão antigo quanto o livro dos Gênesis, da Bíblia, quando Abrão teve seu nome mudado para Abraão, que significa “pai das multidões”, em hebraico. Assim, vem de longe a crença de que o nome pode exercer influência no caráter e no destino das pessoas. Os romanos, a esse respeito, assim se pronunciavam: nomen est omen, isto é, “o nome é um algúrio”. O estudo destinado à explicação dos nomes próprios recebe o nome de ONOMÁSTICA, que é um dos ramos da linguística que se inclui a Antroponímia (estudo dos nomes das pessoas).
A palavra “nome” vem do vocábulo hebraico shem e do grego, onoma. E, segundo o Dicionário Aurélio, é oriunda do latim nomen, “vocábulo com que se designa pessoa, animal ou coisa”. Na opinião de Cícero, “nome é o sinal característico que faz com que se conheçam individualmente as coisas”.
Para Mansur Guérrios, “os antropônimos [nomes próprios de pessoas], quando surgiram, levavam consigo um significado que, em geral, traduzia qualquer realidade condizente com os indivíduos, seus portadores”. Já Aristóteles, numa abordagem mais filosófica, procurava a verdade das coisas na propriedade dos nomes. Para ele, o nome possuía a capacidade de traduzir o caráter da pessoa ou coisa que o traz. De acordo com os babilônios, “não ter nome era um sinal de não existir”. De fato, criam os antigos que “o nome é inextricavelmente vinculado com a pessoa do seu portador”. Era tal essa crença na antiguidade que tanto “na Mesopotâmia como no Egito, o conhecimento do nome era tido por sagrado”.
Assim, persuadidos de haver um poder misterioso em cada nome e de que os nomes tinham uma influência direta sobre aqueles que os usavam, o cuidado na escolha passou a percorrer gerações e alcançou os dias atuais. O texto traduz o significado de alguns nomes e o destino que eles carregam consigo.
Márcia: Feminino de Márcio, ver esse nome. Acha que o verdadeiro amor compõe-se de uma sucessão de instantes maravilhosos. Realiza com minúcias suas tarefas. O dinheiro é suficiente para o imprescindível . Do latim "nome que se envoca Júpiter".
Julia: Significa cheia de juventude e indica uma pessoa de memória prodigiosa, muito senso de organização e um dinamismo contagiante. Excelente amiga, dedica-se totalmente às pessoas que estima.
Altino: Significa que veio da cidade de Altino e indica uma pessoa que confia na própria capacidade de contornar as dificuldades. Por isso, enfrenta os problemas com serenidade e paciência e, geralmente, se dá bem. Ajudado pela intuição, raramente perde uma parada.
Carlos: Significa homem e indica uma pessoa que nunca deixa uma oportunidade passar em branco por estar desatento ou por ter medo de riscos. Do latim "homem, viril".
Edgar: Significa lanceiro guardião dos bens e indica uma pessoa que não suporte se acomodar. Está sempre ampliando seus horizontes. Além disso, carrega uma boa dose de impulsividade na sua maneira de ser.
Fabiano, Fábio: Significa plantador de favas e indica uma pessoa com facilidade de comunicação. Adora conversar, até com desconhecidos, e se sai bem em atividades que exijam contato pessoal e direto, como vendas, relações públicas e entrevistas.
Fátima: É o nome da filha de Maomé . Significa desmamada (ou seja, que deixou de ser bebê, que alcançou um degrau mais alto na escala da evolução). Indica uma pessoa que sabe ouvir a intuição e não se prende a regras ultrapassadas. Do árabe "donzela esplendida".
Iago: Significa “aquele que vem do calcanhar” ou “que Deus o proteja”. Iago surgiu a partir do latim Iacobus, uma variante espanhola e galesa de Jacó, nome originado a partir do hebraico Yaaqobh, que está associado ao aramaico iqbá, ao acadiano iqbu e ao árabe aqib, e que quer dizer “calcanhar”.Outra vertente associa a origem de Jacó com outro nome hipotético, Ya’aqov’el, que quer dizer “que Deus o proteja”.
Selma: Árabe / celta, significa pacifica, justa. Variação de Anselmo. Indica um caráter que se caracteriza por mostrar sua preferência pelo otimismo perante o pessimismo. É próprio de quem é capaz de sacrificar-se pelos outros e, em contrapartida, mostra-se indolente consigo mesma.
Sueli: Germânico, significa brilho, luz. Variante: Suely. Simboliza a necessidade de se sentir amparada e cuidadosa em qualquer infortúnio. É próprio de mulheres que experimentam alguma timidez ao agir, ainda que costumem expressar suas opiniões com desenvoltura e clareza.
Alexandre(a): Significa defensor da humanidade e indica um espírito justiceiro, que não pode ver outra pessoa passando dificuldades sem procurar ajudar. Tem sucesso quando trabalha em atividades comunitárias. Do helênico "protetor e defensor do gênero humano".
Patrícia: Latim, significa da pátria. Masculino Patrício. Forma italiana Patrizio, Patrizia. Está sempre em busca da perfeição total. Por ser exigente demais com as pessoas e ter um senso crítico muito apurado, tem solidão como grande companheira. É previdente e nunca fica sem dinheiro.
  Os exemplos acima ilustram que os nomes contêm informações sobre a personalidade e os talentos das pessoas, além das oportunidades e dos obstáculos que elas enfrentarão na vida. Pelo nome, segundo muitos estudiosos, é possível reconhecer a  verdadeira essência das pessoas, compreender melhor o nosso destino e viver em harmonia com aqueles que nos cercam.

DICAS DE GRAMÁTICA

O EMPREGO DO HÌFEM, PROFESSORA?
- Segundo o Acordo Ortográfico da Lusofonia, não se usa mais o hífen em palavras cujo prefixo termina em vogal e a palavra seguinte inicia-se com as consoantes R ou S. O hífen desaparece e essas duas consoantes devem ser dobrados. Veja abaixo alguns casos antes e depois do acordo.
· Anti-social – Antissocial
· Anti-ruído – Antirruído
· Anti-reflexo – Antirreflexo
· Mini-saia – Minissaia
· Ultra-sonografia – Ultrassonografia
· Contra-regra – Contrarregra
· Ultra-secreto – Ultrassecreto

RELAÇÃO ENTRE OS NOMES E O DESTINO DAS PESSOAS



Tenho escrito artigos sobre o significado dos nomes e os seus desígnios na vida das pessoas. É temática que desperta o interesse dos leitores que estão sempre a indagar qual o significado deste ou daquele nome. E como o objetivo de Letras & Letras é escrever para o leitor, fala-se, aqui, um pouco mais dos nomes, não como autoridade, mas como estudiosa da antroponímia brasileira.
Antroponímia é o estudo do nome das pessoas. O vocábulo foi cunhado em 1887 pelo filólogo português José Leite de Vasconcelos, que dedicou um capítulo de suas 'Lições de Filosofia Portuguesa' ao 'Onomástico Antigo e Moderno'. Ambos os vocábulos foram criados a partir do grego: onomatos, 'nome', e anthropos, 'homem', mais onoma. Diz o mestre: "O 'estudo dos nomes próprios em geral' chama-se onomatologia. O dos nomes geográficos tem em particular o nome de toponímia. Poder-se-ia dizer, paralelamente, com relação aos nomes de pessoas e seres personificados, antroponímia”.
O que é então o nome? Genericamente falando e dentro do conceito de antroponímia, nome refere todos os vocábulos que compõem a denominação capaz de identificar uma pessoa. Coloquialmente, chama-se nome aquele ou aqueles vocábulos que identificam o indivíduo:  Maria ou Maria Nair. Da mesma forma coloquial, chamam-se sobrenome os apelidos das famílias: Silva, Santos, Oliveira, Sousa, Pereira etc. Logo, vê-se que o nome é importante, ele é a PERSONALIDADE da pessoa. É com ele que as pessoas se apresentam umas às outras e ao mundo, e quanto mais se sabe do nome mais se deseja saber, pois o nome é uma referência, uma áurea de cada personalidade humana.
De outra parte, observa-se, também, que neste processo de nomeação das pessoas, logo após o nome próprio figura junto o sobrenome, um identificador da família das pessoas. Esse mecanismo  data de quatro séculos. Assim, mais do que qualquer outra coisa, o nome pertence à pessoa e pode até vir a definir muita coisa ao longo de sua vida. E, no viver em que muitas coisas são transitórias, tais como a situação financeira, amorosa, posição social, política etc., o nome é perene, caminha sempre com a pessoa aonde quer que ela vá, independente do que faça.
Então, sabendo-se que o antropônimo é elemento importante na vida, é prudente à família não castigar a descendência com nomes esquisitos. Os pais devem refletir bastante antes de atribuir nomes aos filhos, considerando que esses nomes eles  os levarão por toda a vida. Assim, quando os pais chamam os filhos de  Pália Pélia, Maria Felicidade, Maria Passa Cantando, Leda Prazeres, Jovelina da Rosa Cheirosa, ou o filho de Simplício Simplório da Simplicidade, Otávio Bundasseca, Rolando Caio da Rocha, Oceano Pacífico, Sebastião Salgado Doce, Manoel de Hora Pontual, Antonio Manso Pacífico, Benedito Camurça Aveludado estão faltando, no mínimo, com o amor  pelos seus rebentos.
Não se deve, pois, esquecer que o nome da pessoa é de fundamental importância na vida, pois ele é a expressão de um direito de propriedade, um atributo da personalidade, uma obrigação que toca a todos, desde o nascimento. Por isso é prudente escolher nomes que transportem bons significados, tais como:
Márcio - De origem latina, nascido em março e consagrado ao Deus Marte, significa guerreiro.
Raimundo - De origem gótica, protetor ou o sábio poderoso.
José - De origem hebraica, aquele que acrescenta.
Jorge - Agricultor, trabalhador da terra, fazendeiro.
Luís - Guerreiro glorioso.
Caio - Do latim "gaius", feliz, contente, alegre.
Carmem - Do latim, significa poema.
Cassiano - Do latim, significa muito eqüitativo.
Celina - Do latim, filha do céu, diminutivo de Célia.
Samir - Do árabe, companheiro amigo.
Sebastião - Do grego, sagrado, reverenciado.
Sheila - Do gaulês "sile" é pronúncia irlandesa de Cecília.
Shirley - Do anglo-saxão, significa prado brilhante.
Silvana - De origem latina, significa floresta, selva.
Simone - Do hebraico, significa ouvinte, aquela que ouve.
Stephano - Do hebraico, coroa de louros.
Nair - Do árabe, a estrela brilhante.
Nazaré - Do hebraico, guarda, sentinela.
Iara - Do tupi, senhora das águas, beleza tentadora das águas.
Pedro - Do latim, rocha, pedra.
Ondina - De origem teutônica, divindade das águas.
Rosana - Do anglo saxão, rosa graciosa.
Por fim, sabe-se que os Antropônimos estão documentados e registrados em todas as raças e línguas, fazendo parte da cultura de todos os povos desde as eras mais primitivas. Na formação dos antropônimos brasileiros houve a influência de vários povos e idiomas. O português, o espanhol, o italiano, o alemão, o hebraico, o árabe, o inglês, o francês, o latim, o anglo saxão e outros com menor participação, como a nação indígena que habitava essa terra, antes do descobrimento e que influenciou, fortemente, a Língua Portuguesa do Brasil.

DICAS DE GRAMÁTICA

PASSOU POR AQUI UM LARGATO OU UM LAGARTO?
- Às vezes, os falantes da língua trocam a posição de alguns sons da fala, dentro das próprias palavras: dizem “largato” em vez de “LAGARTO”, por exemplo. Outras vezes, eles acrescentam  sons, como em “mortandela”, cuja forma padrão é “MORTADELA”.
Para exercitar a sua mente, para cada par, assinale a forma correta:
1. (  ) lagartixa          ( x) largatixa
2. (  ) indentidade     (x ) identidade
3. (  ) drobar             (x ) dobrar

ELE SOA OU SUA COM O FORTE CALOR DO ACRE?

Veja:
· Soar = emitir som
· Suar = transpirar
Depois da dica, você já concluiu qual a forma adequada à frase acima.

Marque a opção em que não se cometeu erro:
( x) Suar   é verter suor pelos poros.
(  ) Soar  é verter suor pelos poros.
(  ) Suar é o mesmo que retumbar. 
A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.