segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A BRISA E EU


Brisa
A brisa varre o tempo passado,
Apaga lembranças de cada lado,
A brisa desbota retratos,
A brisa leva pra longe os fatos...  


E a vida fica melhor a cada alvorecer,
Deito-me feliz ao fim dia, no nascer das noites,
Com os planos e sonhos da vida sem açoites,
A brisa faz renascer o amor e acalenta o meu ser...  


A brisa sopra no correr dos anos e dias,
A brisa acompanha os sonhos e as poesias,
A brisa acende luzes, fé, cores e matizes,
Que na vida me fazem felizes...  


A brisa suave espalha as sementes,
Faz nascer e crecer outros entes,
A brisa nos mostra semblantes diferentes,
E a todos agracia de encantos e presentes ...  


A brisa varre os meses, enche de luz os anos,
A brisa transporta a beleza dos meus olhos decanos,
A brisa da natureza  beija e afaga o meu rosto,
E me deixa no riso a doçura do  seu gosto...  


A brisa enche a vida de anjos,
Deuses, Serafins e Arcanjos,
Que nunca se afastam de mim,
A brisa me acaricia todos os dias assim...




























sábado, 21 de fevereiro de 2015

CURVAS DA VIDA


vida e esperançaLuisa Lessa3

Eu já vivi alguns anos,
Passei por muitos enganos,
Convivi com seres intocáveis,
E vi que eram insubstituíveis,
Pessoas raras, inesquecíveis,
Mas que esqueci....


Agi muitas vezes por impulso,
Ouvi choros e soluço,
Tudo tocou meu coração,
Que não é ferro nem alçapão,
É órgão suave, terno, ardoroso,
Que tudo sente em alvoroço…


Eu já abracei para consolar,
Fiz esforço na vida para não soluçar,
Não sentir e sofrer dores alheias,
Fugir das armadilhas e teias,
Viver na minha paz,
Sem vícios ou vida fugaz…


Eu lutei por minha profissão,
Dela fiz altar e missão,
Nela eu já amei e fui amada,
Também já fui rejeitada,
Eu fui amada e não amei,
Fui traída e não trai…


Eu tenho consciência da vida,
Embora seja  mulher atrevida,
Que preza os valores dos homens e de Deus,
Mas sigo preceitos meus,
Sem enganar, mentir, falsear,
Carrego recordações alegres, tristes, doloridas…


Eu sou mulher que curou feridas,
E a Deus bendiz a vida,
Um amor eterno, sublime,
Que com bênçãos a alma redime,
Em versos, histórias, memórias,
Tudo colheita das recebidas glórias…


Eu sou uma adulta mulher-criança,
Que no dedo carrega aliança,
Um compromisso assumido na vida que dança,
Com hinos, fé, esperança,
Vivo com atenção e zelo por gente,
Que não aprendeu a se dar,
Para uma mulher que sabe amar…









































quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

ENLACE DE AMOR

 

flor de beija-flor

Outro dia disseram para procurar um amor,

Mas amor não se procura,

Como roupa ou flor,

Amor simplesmente surge,

Borbulhando de emoção,

Sem que a gente queira,

Ele invade o coração,

Sem nossa permissão,

Sem que possamos fazer escolhas,

O coração sozinho elegeu,

O ser que vai habitar tua alma,

Mostrar o mundo na palma.

O coração tudo faz,

Sem indagação,

Vai plantando a semente,

Turbina a emoção,

Deixa o corpo feliz,

A alma como raiz.

Quanto se percebe,

Já se está amando, namorando,

Num arrebatamento,

Que invade a alma,

Tira a calma,causa emoção,

Mas faz bem ao coração.

Que quer ser feliz,

Amor é poder,

É luz, alvorecer,

Luz perfumada,

Rosa encantada,

Perfume de Jasmim,

Nas rosas do meu jardim,

Que dá felicidade.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

PRATEADO DO TEMPO

 

image

 

Que falta me faz o teu perfume, o teu riso, o teu olhar, o teu jeito de amar, a melodia da tua  voz, o murmúrio doce no ouvido, o toque das tuas mãos a segurar as minhas, o abraço suave e seguro, a companhia agradável que me fazia te seguir a tantos lugares, o subir e descer as serras, o desfrutar o Capivari, as rezas em Aparecida, o caminhar na 25 de março, as visitas ao Museu de Língua Portuguesa, os teatros, os musicais, a cumplicidade com a natureza, o túnel de Santos, as telas de cinema, os dias de churrasco, a vitrola a tocar, as marolas do mar, os cafés de fim de tarde, os textos sobre América Latina, as músicas inesquecíveis, os almoços no dia a dia, o saboroso café da manhã, as idas nas praias, o sol a aquecer a pele, o amor a rondar os sentidos, tudo na vida a dois, a companhia desejada, esperada, sonhada.

É um tempo distante, a fazer despedida, na ausência sentida, um tempo não vivido, tudo a deixar um vazio que nem as estrelas do céu, o azul do mar, o raio do sol, o prateado do luar, o entardecer do dia, enfim, como substituir essas lembranças, nessa ausência sentida na minha vida? Saudade de nós. Saudade do que já fomos. Saudade do que poderíamos ser...É uma ausência por demais prolongada que me permitiu descobrir que posso permanecer sem ti por toda minha  eternidade. O tempo acabou! Não temos mais tempo para um abraço, um sorriso, os passeios, o conviver no tempo, esse tempo que a vida não nos deu. Por tudo, vivemos o ADEUS!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

SUA BÊNÇÃO, MEU PAI! SUA BÊNÇÃO, MINHA MÃE!

Luisa feijoada 2015---photoshop3
Eu nasci assim...
Um casamento ao modo antigo,
Dois jovens enamorados, felizes,
Inocentes, puros, sonhadores consigo,
Um lar com oito filhos formaram,
Com carinho, amor, compreensão,
Tudo com respeito e atenção,
Preocupados nos filhos, em sua educação,
Sabedores da semente que plantaram neste chão.
Crescemos em harmonia,
Em companhia de muita filosofia:
Respeito, amor, trabalho, estudo, honestidade,
Sem ao mundo fazer nenhuma maldade,
Vida regrada, sem exagero e muita lealdade,
Aprendendo as verdades sem idolatria,
Mas vendo no mundo a covardia.
Os pais acompanhavam sem nos carregar,
Mostravam o mundo sem dele nos isolar,
Davam abrigo, sem nos esconder,
Mostravam perigos para com eles aprender.
Meu pai, um sábio homem,
Fez nesta vida um pacto, nunca passar fome,
Foi escolado na dignidade da vida,
A ninguém deixou ferida,
Soube respeitar e valorizar às pessoas,
Foi à escola aprender só coisas boas,
Não tirou diploma, nem ganhou medalhas,
Mas enfrentou e venceu ferrenhas batalhas,
Procurou ambiente de estudos para os filhos,
Ofertou educação, espaço para a maturidade,
Não fabricou castelos, mas deu-nos liberdade
Para estudar, refletir, multiplicar, criar,
Sem pisar em ninguém,
Incutiu o valor da bondade,
Tudo feito com lealdade,
E, por fim, disse:  vão conquistar o mundo,
Ele é grande, perigoso, profundo,
Mas não é o vulcão imundo,
Para quem nasceu em família decente,
Cedo aprendem a trabalhar e ser gente,
Saber abrir portas, fechaduras,
Sem jamais perder a ternura.
Minha mãe uma santa do lar,
Fez do casamento seu altar,
Ali colocou os filhos a rezar,
Com fé, força, devoção,
Ensinando valiosas lições,
Sem fraquejar ao curvar vergalhões,
Por suas mãos habilidosas,
Fez dias e noites famosas,
E a todos encantou, com gestos, ações,
Nunca despendeu juízo em infelizes corações,
Pois é mulher tecida em fibras de ouro,
Olha a vida e o mundo como tesouro.
Por tudo isso sou ser sonhadora,
Uno sonhos e disciplinas,
E no mundo sou caminhante dessas doutrinas.
Sua bênção, meu Pai! Sua bênção, minha mãe!
























































sábado, 7 de fevereiro de 2015

PAZ NO ADEUS



Tenho um mundo inteiro de Paz,
Sem guerra, fome, tudo de bom que na alma jaz,
Para dias intensos, felizes,
Sem cometer deslizes,
Fé nos entes poderosos,
Que dão glória ao espírito,
E afastam seres maldosos,
Para eu ter meu louvor descrito.
Por tudo que tenho e sou,
Por minha alma que a Deus dou,
Eu te digo:
Podes ficar com tudo que te dei,
O amor, a sinceridade, a saudade,
A dor que feriu meu coração,
A tua mentira, a minha desilusão,
Tudo eu te dou de graça,
Entregue isso às traças,
Para roerem essa história,
Que me tirou a paz,
De pertinaz memória.
Podes guardar, quebrar, até jogar no mar,
Ainda, se desejar,revisitar a memória,
Ter ciência do feio que fez comigo,
Roubou minha paz para ficar contigo,
És ser sem fé, um tormento, um perigo,
E para qualquer mulher sonega abrigo,
Por insensatez, crueza, não tens jazigo,
Habitarás uma cova fria,
Sem sonhos ou fantasias,
Dormirás nas noites frias.
Não te desejo mal,
Que sigas os dias teus,
Coberto das lembranças,
Deste definitivo adeus,
Que encontres a Paz,
No teu dia capaz,
E nele faças uma prece,
Para alguém que merece,
De ti perdoar a traição,
Que tanto feriu o coração.
Rezo por ti, desejo Paz,
Amor, essa doce sensação,
Que habita a alma humana,
De quem pratica o bem,
Para que encontres um Norte também,
Amar, servir, sem olhar a quem,
Uma vida colorida,
Um mundo florido,
Muito Amor e Paz,
Em tudo que há nesta vida,
Pra ti, em oração, te coloco no cartaz.














































domingo, 1 de fevereiro de 2015

POETAR

 

Poesia...

é caminhar,
é habitar,
é falar,
é sentir,

é dizer,

é se dar...
Poesia...

é viver,
é correr.
é tecer,
é se envolver...
Poesia...

é momento,
é contentamento,
é encantamento,
é um instante,

é mil momentos....
Poesia...

é sonhar,
é perguntar,
é delirar,
é subliminar,

é idealizar...
Poesia ...

é tudo, em meio ao nada,

é vida em eternidade,

é sentimento corrente na ansiedade,

é um interrogar constante,

é a vida a todo instante...

Poesia ...

é verso,
é cada palavra,

é sonho em cada pensamento,

é dor, amor, ternura, muito sentimento,

é um mundo construído num momento...
Poesia...

é troca,
é expressão,

é amor,

é desilusão,

é esperança,

é festa dos dias que virão...

Poesia ...

é loucura,
é razão,

é paixão...

é uma quermesse no coração,

é alma de saudade,

é tormenta do coração...
Poesia...

é intensidade,
é intensa verdade,

é um grito de liberdade,

é a palavra saída do peito,

é um gemido em letras,

é um hino no leito...
Poesia...

é mais...
é vendaval,
é mágica,

é lágrima,

é nostalgia,
é o sobrenatural,

é coisa e tal...
Poesia...

é sol,

é céu,

é mar,
é terra,

é estrela,

é luar,

é vida para enfeitar...

Poesia ...

é muito mais...

é dizer sim,

é falar não,

é contar segredos,

é falar da paixão,

é dizer da dor,

é não silenciar pudor,

é contar façanhas do amor...

Poesia...

é amor,

é poetar,

é amar,

é esquecer,

é lembrar,

é dizer adeus,

é pensar nos sentimentos seus...

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.