terça-feira, 23 de dezembro de 2014

AS BÊNÇÃOS DO NATAL

 

Natal com neve

A Noite Feliz do Natal é quando, humildemente e conscientemente, mesmo sem símbolos e aparatos, sorrimos com confiança e ternura na contemplação interior de um Natal perene, que estabelece seu reinado em nossos corações. Sinto-me honrada e recompensada pelas Graças recebidas. E, assim, deve sentir-se cada cristão. Obrigada Senhor, por Vossa luz, Vosso perdão e Vossa compreensão. Obrigada pelo dom da VIDA!

Todos os dias nós temos provas da existência de Deus: a luz do sol, as flores no jardim, a brisa que sopra no nosso rosto, o amanhecer e o anoitecer... Mas foi na noite de dezembro, anos atrás, que Deus se mostrou misericordioso conosco, colocando o Filho de seu amor entre nós. E, naquele dia, 24 de dezembro, há milhares de anos, uma estrela brilhou e iluminou todo o céu. Os três reis magos, Baltazar, Belchior e Gaspar interpretaram a mensagem e souberam que o Rei dos Reis havia nascido para libertar e salvar os homens do mal e do pecado que reinava no mundo. Para isso cruzaram desertos com seus presentes: a Mirra para curar as feridas dos homens; o Incenso para perfumar e envolvê-los com a mística divina; o Ouro simbolizando a salvação oferecida pelo Filho de Deus aos homens de boa vontade.

Então, que neste dia 24/25 de dezembro o Menino Jesus nos ofereça a Mirra curando nossos pecados, o Incenso aproximando-nos mais e mais de Deus, o ouro como símbolo de nossa salvação. Por todos esses eventos divinos, espera-se que a essência desta chama divina esteja sempre presente nos lares acreanos e ganhe o mundo com a chama da Paz e do Amor de Deus.

Se a nossa vida estiver harmonizada aos preceitos divinos, toda a possibilidade de felicidade está em nossas mãos, basta ter coragem e determinação para transformar momentos difíceis em grandes desafios, buscar na solidariedade um passo para dias melhores. Neste Natal, que o grande potencial da humanidade revele-se em cada um de nós, para que possamos celebrar o verdadeiro espírito cristão e que este nos guie durante o Ano Novo que está para começar.

Muitas pessoas buscam a felicidade em coisas materiais, sendo que ela reside dentro de cada um de nós. E esse texto natalino retrata a importância de superar as dificuldades e adversidades que apareçam em nossas vidas, dando-nos a capacidade e o incentivo para buscar, no nosso interior, as forças necessárias para seguir adiante, com honradez e dignidade. A história do menino Jesus é um dos maiores exemplos de superação que se tem notícia, perseguido desde seu nascimento, Ele cresceu e se revelou o filho de Deus, que veio para trazer a boa nova para os homens de boa vontade.

Esse pequeno texto de Natal traz uma grande mensagem e que se vivenciada pode nos ajudar em todos os momentos de nossas vidas.Então, que nesta noite especial de Natal todos os nossos sonhos se realizem, que Deus continue abençoando cada um de nós e todos os familiares que nos cercam, assim como os amigos queridos.

Vamos seguir os sonhos, deixar a alma voar alto... pegar carona com os fogos coloridos do Ano Novo. Vamos unir as mãos, erguê-las ao Céu, com fé, e pedir a bênção do Pai Eterno, pois os nossos pedidos chegarão ao Altíssimo. Irão se misturar às estrelas, irão penetrar no Universo e voltarão cheios de energia para tornarem-se reais. Basta a pessoa querer de verdade, ter fé, sonhar. Seguir os sonhos é viver para sempre. Os Sonhos nunca envelhecem. Boas Festas e que este 2015 seja pleno de bênçãos e realizações. Natal é o nascimento de Cristo. Ano Novo é o nascimento de uma nova esperança. Que o nosso Natal seja brilhante de alegria e iluminado de amor. Que venha o 2015, trazendo 365 dias de felicidade.

DICAS DE GRAMÁTICA

DE BAIXO ou DEBAIXO?

Nosso idioma parece estar marcando, aqui, a distinção entre "lugar onde" e "lugar DE onde".

1) Ele estava debaixo da cama (onde) .

2) Ele saiu de baixo da cama (de onde).

FAZEM CINCO ANOS ou FAZ CINCO ANOS?

- Fazer, quando exprime tempo, é impessoal. Então, diga: Faz cinco anos. / Fazia dois séculos. / Fez 15 dias.

HÁ DEZ ANOS ATRÁS ou HÁ DEZ ANOS?

- e atrás indicam passado na frase. Então, diga: Há dez anos ou Dez anos atrás.

VIVE ÀS CUSTAS DO PAI ou VIVE À CUSTA DO PAI?

--------------------------------------

Luísa Galvão Lessa Karlberg IWA – É Pós-Doutora em Lexicologia e Lexicografia pela Université de Montreal, Canadá; Doutora em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ; Membro da Academia Brasileira de Filologia; Membro da Academia Acreana de Letras; Membro perene da International Writers end Artists Association – IWA; Pesquisadora DCR do CNPq.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Perfume de amor...

 

 

Que fique escrito...

 

ONDE ESTÁ O POETA?

 


Não busquem pelo poeta
Na estrofe ou na curva dos versos,
Eu não sou fantasma para viver em papeis dispersos,
E cobrir o rosto num véu celestial,
E depois me mostrar igualmente colegial.
Eu habito alguns poemas,
N’outros versejo na sombra das rimas,
Mas não vivo de quimeras,
Assim não tolero feras,
Que de mim digam esmeras.
Não me procure nas contravoltas dos poemas,
Eu estou nas metonímias e metáforas dos ecossistemas,
Ou nas figuras de linguagem,
Que tanto dizem, fazem e desfazem,
Tudo por meio da linguagem.
Não estou aqui nem ali,
Habito os ancestrais dos rios,
Das matas nos desafios,
Sem confessar a quem,
Onde vou encontrar alguém.
Eu viajo no ar da brisa,
Nos encantos da Monalisa,
Nas fábulas de La Fontaine,
Os pés na terra e o olhar online,
Embalada na ternura de Exupery Antoine.

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.