sábado, 17 de outubro de 2015

ALGUÉM PARA AMAR

 


Luisa Karlberg

Sou alguém que ama o inteiro,

Nas noites, nos dias, no despertar primeiro,

Não interrogo o coração,

Ele conhece minha razão.

Não quero amor de verão,

Digo àquele do outono não,

Nego o da primavera,

Não tenho interesse no inverno de quimera.

Meu amor é pleno, repleto de estações,

Vive intensas e vibrantes emoções,

Sinceras, leais, afetuosas,

Pela verdade de vida amorosa.

Meu amor é altaneiro,

Vencedor e sobranceiro,

Não teme os caminhos,

Que conduzirão aos nossos ninhos.

O meu amor é alguém que abraça,

Canta, chora, sorrir com graça,

É amor que ama demais,

Com pouco não se satisfaz.

Meu amor, com certeza,

Tem força, coragem, beleza,

Alma pura e inocente,

Capaz de amar eternamente.

2 comentários:

Aparecida Camilo disse...

Nossa!! Luisa, eu visitei seu blog, e fiquei encantada com a sensibilidade que você externa através da escrita...Parabéns por isso. Grande abraço...

Luísa Galvão Lessa Karlberg disse...

Oi, Aparecida Camilo, querida amiga, fico feliz que tenhas gostado do meu blogger. Eu o tenho passado para tantas pessoas, mas poucos sentem ou manifestam interesse. Quem escreve quer ter leitores. Por isso também te sou grata. Sabemos que a leitura nos traz plenitude; o discurso segurança; a escrita nos dá a precisão de expressar os pensamentos. Que possamos seguir nessa feliz interlocução. Grande abraço. Luísa


A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.