quarta-feira, 25 de junho de 2014

NOVA DANÇA

metamorfose2

Escrevo num grito de dor,
Com o coração partido, ferido, sangrado.
Escrevo versos soltos, frases d’alma traída,
Enganada por lâmina de aço em furor.


Escrevo para expulsar da memória a ingratidão,
Demolir o agito do coração.
Escrevo com o sangue quente, consciente,
O peito limpo, a alma rumo ao oriente.


Escrevo para afuguentar a tolice,
De acreditar em perdulário amor.
Escrevo tal guerreiro, pensador,
Ser idealista convicto de labor.

Escrevo porque o poema é enganador,
Esconde a voz, a alma, a mente.
Escrevo para florescer nova semente,
Em plantio desbravador.


Escrevo pelo viver sagrado,
De poeta versejador.
Escrevo pela fé e esperança,
No viver feliz em segurança.

Escrevo para um novo caminho,
Esquecer o engano daninho.
Escrevo pelo passo da dança,
Do sonho, da ponte ao novo ninho.


Escrevo para fazer o novo,
Esquecer a tempestade avassaladora.
Escrevo para um tempo vigoroso,
Pleno de amor viçoso.


Escrevo para dizer adeus,
Agora para o todo e sempre.
Escrevo de alma serena,
Raiz de vida e fonte suprema.

Escrevo para a despedida minha,
Dizer-te adeus sem medida.
Escrevo para falar da falsidade,
Do engano e da maldade.


Escrevo para dizer FIM,
Ao ser fingidor.
Escrevo a ti somente,
Num adeus sem o anjo Serafim.

4 comentários:

Anônimo disse...

Beleza de poema, estimada e admirada escritora Dra. Luisa Karlberg. Quanta beleza e verdade neste belo poema. É um hino de fé e crença na tua força, capacidade de renascer a cada novo dia. Grandiosa mulher. Sublime poetiza.

Anônimo disse...

Querida Professora, eu sou o David Rinauro, lembra de mim? Fui seu aluno na Pós-Graduação da Gama Filho. Estou deslumbrado com a sua poesia, grande mestra. Eu sei que tem a alma nobre, altaneira, íntegra, humana. Mas hoje percebo a grandiosa sensibilidade para a vida, o coração, o amor. E nós humanos sem o amor não somos nada. parabéns, rainha das professoras, poetiza de primeira grandeza. Abraço do aluno David Rinauro.

Anônimo disse...

Lindo minha amiga poetisa, parabens.
Evaldo/Ione
222

Isaac Melo disse...

REALMENTE UM POEMA PULSANTE!

SUA FACE POÉTICA SE AGIGANTA CADA VEZ MAIS! E ISSO MUITO NOS ALEGRA!

ABRAÇOS!

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.