quinta-feira, 17 de julho de 2014

DECLARAÇÃO D’ALMA

  30482111


Abri minha alma,
Como se abrisse as portas
Da minha casa para ti.
Invadiste rapidamente a casa,
Pisando sobre as flores que plantei.
Andei e caminhei contigo,
Sempre no desejo incontido,

De realizar o sonho que sonhei.
Mas os dias foram difíceis,
Vi coisas indescritíveis.


Então o que fiz eu?
Amei,
Sofri,
Gritei,
Me rasguei,
Me entreguei,
Me anulei,

Me decepcionei,
Me perdi...

Me transformei em boneca de cetim,

Acomodada no canto assim,
Amassada,
Pisada,
Mais uma vez enganada...
Valeu?!
Não sei...
Não tem outra vez!
Mas se não o fizesse,
Carregaria a sensação

De não ter dado outra oportunidade ao meu coração.
Os sentimentos de hoje são sementes da vida,
Que se quedam abandonadas no tempo da cor envelhecida,

E não mais brotam,
Fenecem levando a ferida,
Que foi causada na minha vida.
















9 comentários:

Anônimo disse...


Lindo, valeu.
Evaldo/Ione

Anônimo disse...

Belíssimo poema, um dos mais belos que li, professora. parabéns!
Fernandes de Castro

Anônimo disse...

Estamos aqui numa turma lendo e interpretando esse poema. Que maravilha. Mas nós não sabemos como comentar no blog. Será que vamos conseguir?
Jonas
Tufy
José
Mateus
Jaque

Neide Lima disse...

Hoje li o texto mais bonito dos últimos tempos. Maravilhoso!!!

Neide Lima

Cristina Maia disse...

Parabéns por esse hino!

Nilda Melo disse...

Deveras têm razão os leitores, o poema possui uma simplicidade sábia, verdadeira, linda. Que beleza de poema, uma canção autêntica do coração. Quantas bonecas de cetim por esta vida... até chorei.

Nilda Melo Dantas

Célia Longuine disse...

É difícil fazer comentário aqui, acabo de perder o meu. Pois, dizia que o poema é belo na simplicidade, sabedoria, sentimentos, emoção. É um canto ao coração. Quantas bonecas de cetim nesta vida. Até chorei, sou sensível demais.

Célia Regina Longuine

Taty disse...

A poesia é voz que fala do coração e quando bem dita é sublime. Parabéns!
Taty Almeida

Taty disse...

A poesia é voz que fala do coração e quando bem dita é sublime. Parabéns!
Taty Almeida

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.