quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

AQUARELA DE AMOR











Se eu te falo de amor,
É pra ti anjo amado,
Porque dentro em mim há muito ardor,
Por esse sentimento a ti doado.

Se eu te faço hoje um poema,

És para mim um belo tema,
Inspirador de novelas de cinema,
Que cá dentro do peito é meu lema.

Desejo que esse amor ecoe por toda a vida,
Na hora da chegada e  da despedida,
Que eu seja tua eterna namorada,
E contigo possa ficar em noite enluarada.

Este poema é pra ti, ser amado,
Amor da minha vida,
Meu príncipe encantado.

 
Que eu seja a tua cinderela,
A moça mais bonita,
No quadro em aquarela.

 

Nenhum comentário:

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.