sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

TU PODES SER

Tu podes ser
A navalha da traição
A lâmina penetrante
O punhal cravado no coração

Tu podes ser
O medo angustiante
O sangue a escorrer brilhante
A paixão constante

Tu podes ser
Aquele verso de desejo
Uma cantiga de sedução
Um amor, um carisma de um beijo

Tu podes ser
O amanhã que chega
O sol em declínio no horizonte
Um rio, um riacho, uma fonte

Tu podes ser
O fogo ardente
A chama calente
Uma paixão fulgente

2 comentários:

Isaac Melo disse...

Profª. Luísa,
sou fascinado pela sua poesia, tão isenta de modismos. Tão simples, tão tocante.
E continuo seu leitor assíduo aqui e no Gostor de Ler.

Deus continue a abençoá-la em seu trabalho.

Um forte abraço!

Anônimo disse...

Eu também estou fascinado por tudo quanto li, ilustre professora. Quanta cultura acumulou na vida. meus cumprimentos.

Elias

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.