quinta-feira, 31 de julho de 2014

ETERNO AMOR

  tags11  


Não chame meu amor de idolatria,
Ele é sincero, fiel, a um somente se alia,
Não chame meu amor de sonho ou fantasia,
Ele serve à vida de guia,
Sempre inalterável, grande em presença,
Nunca sonha sozinho por minha crença,
E ao belo não faz diferença.
Por ele eu canto e me exprimo,
Com voz suave canto e rimo,
Nós dois num mesmo ser,
Hoje e em todo amanhecer.











Um comentário:

Zaqueu Joaquim Oliveira disse...

Cada poema revela a grande poeta que nasce no Acre para ganhar o mundo.

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.