sábado, 7 de abril de 2012

O NOME DETERMINA O DESTINO DE UMA PESSOA?

 

A ideia de que o nome das pessoas está entrelaçado com o destino é algo tão antigo quanto o livro dos Gênesis, da Bíblia, quando Abrão teve seu nome mudado para Abraão, que significa “pai das multidões”, em hebraico. Assim, vem de longe a crença de que o nome pode exercer influência no caráter e no destino das pessoas. Os romanos, a esse respeito, assim se pronunciavam: nomen est omen, isto é, “o nome é um algúrio”. O estudo destinado à explicação dos nomes próprios recebe o nome de ONOMÁSTICA, que é um dos ramos da linguística que se inclui a Antroponímia (estudo dos nomes das pessoas).

A palavra “nome” vem do vocábulo hebraico shem e do grego, onoma. E, segundo o Dicionário Aurélio, é oriunda do latim nomen, “vocábulo com que se designa pessoa, animal ou coisa”. Na opinião de Cícero, “nome é o sinal característico que faz com que se conheçam individualmente as coisas”.

Para Mansur Guérios, “os antropônimos [nomes próprios de pessoas], quando surgiram, levavam consigo um significado que, em geral, traduzia qualquer realidade condizente com os indivíduos, seus portadores”. Já Aristóteles, numa abordagem mais filosófica, procurava a verdade das coisas na propriedade dos nomes. Para ele, o nome possuía a capacidade de traduzir o caráter da pessoa ou coisa que o traz. De acordo com os babilônios, “não ter nome era um sinal de não existir”. De fato, criam os antigos que “o nome é inextricavelmente vinculado com a pessoa do seu portador”. Era tal essa crença na antiguidade que tanto “na Mesopotâmia como no Egito, o conhecimento do nome era tido por sagrado”.

Assim, persuadidos de haver um poder misterioso em cada nome e de que os nomes tinham uma influência direta sobre aqueles que os usavam, o cuidado na escolha passou a percorrer gerações e alcançou os dias atuais. O texto traduz o significado de alguns nomes e o destino que eles carregam consigo.

Márcia: Do latim "nome que se evoca Júpiter". Entende que o verdadeiro amor compõe-se de uma sucessão de instantes maravilhosos. Realiza com minúcias suas tarefas. É forte, decidida, competente, fiel, firme. O dinheiro é suficiente para o imprescindível, não possui ambição.

Julia: Significa cheia de juventude e indica uma pessoa de memória prodigiosa, muito senso de organização, dinamismo contagiante no caráter. Excelente amiga e dedica-se, totalmente, às pessoas que estima. Luta por aqueles que são injustiçados e, com isso, alcança muitas graças e venturas.

Carlos: Do latim "homem, viril". Significa homem e indica uma pessoa que nunca deixa uma oportunidade passar em branco por estar desatento ou por ter medo de riscos.

Edgar: Significa lanceiro guardião dos bens e indica uma pessoa que não suporte se acomodar. Está sempre ampliando seus horizontes. Além disso, carrega uma boa dose de impulsividade na sua maneira de ser.

Fabiano, Fábio: Significa plantador de favas e indica uma pessoa com facilidade de comunicação. Adora conversar, até com desconhecidos, e se sai bem em atividades que exijam contato pessoal e direto, como vendas, relações públicas e entrevistas.

Fátima: Do árabe "donzela esplendida". É o nome da filha de Maomé. Significa desmamada (ou seja, que deixou de ser bebê, que alcançou um degrau mais alto na escala da evolução). Indica uma pessoa que sabe ouvir a intuição e não se prende a regras ultrapassadas. Jorge: Significa agricultor e indica um homem determinado e seguro de si. Pode ser um pouco arrogante e impetuoso, mas sempre respeita os limites das pessoas à sua volta.

Roberto: Teutônico. Significa aquele que brilha na glória da fama. Um criador, iluminador de ideias, mas nem sempre tem a mesma luz na execução delas.

Sebastião: Do grego "sagrado, reverenciado".

Selma: Árabe / celta, significa pacifica, justa. Indica um caráter que se caracteriza por mostrar sua preferência pelo otimismo perante o pessimismo. É próprio de quem é capaz de sacrificar-se pelos outros e, em contrapartida, mostra-se indolente consigo mesma.

Sueli: Germânico, significa brilho, luz. Variante: Suely. Simboliza a necessidade de se sentir amparada e cuidadosa em qualquer infortúnio. É próprio de mulheres que experimentam alguma timidez ao agir, ainda que costumem expressar suas opiniões com desenvoltura e clareza.

Alexandre(a): Do helênico "protetor e defensor do gênero humano". Significa defensor da humanidade e indica um espírito justiceiro, que não pode ver outra pessoa passando dificuldades sem procurar ajudar. Tem sucesso quando trabalha em atividades comunitárias.

Narciso: Nome de um deus mitológico amante de sua própria beleza.

Patrícia: Nome latino que significa pátria. Pessoa que está sempre em busca da perfeição total. Por ser exigente demais com as pessoas e ter um senso crítico muito apurado, tem solidão como grande companheira. É previdente e nunca fica sem dinheiro.

Os exemplos acima ilustram que os nomes contêm informações sobre a personalidade e os talentos das pessoas, além das oportunidades e dos obstáculos que elas enfrentarão na vida. Pelo nome, segundo muitos estudiosos, é possível reconhecer a verdadeira essência das pessoas, compreender melhor o nosso destino e viver em harmonia com aqueles que nos cercam.

DICAS DE GRAMÁTICA

QUANDO USAR A FIM, AFIM, PROFESSORA?

A fim - Quando a pessoa quer dizer que tem vontade de fazer algo ou quer dar ideia de finalidade/objetivo, use a fim de, uma locução é invariável. Ex.:

Saiu mais cedo a fim de resolver os negócios pendentes.
Estou a fim de um chope.

Afim – Refere-se àquele que apresenta afinidade, semelhança, relação (de parentesco); é adjetivo mais comumente usado no plural. Ex.:

Isso não deve constar no parágrafo porque não é matéria afim.
Relacione neste quadro só os assuntos afins.
João e Maria são afins.

Nenhum comentário:

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.