sábado, 7 de abril de 2012

ORAÇÃO DE FÉ

 

 

Senhor, fazei de mim um instrumento da vossa comunicação,

Onde  houver boatos, inveja, calunia, traição, engano,

Que eu leve uma palavra fé, honestidade,  sinceridade, amor, união!

Onde tantos procuram ser servidos,

Que eu leve a alegria de  bem servir!

Onde tantos fecham a mão para doar nada a ninguém,

Que eu abra meu coração para lhes mostrar o bem de abraçar!

Onde tantos adoram  levar vida parasitária,

Que eu tenha sabedoria para ensinar a plantar e a colher!

Onde tantos desconhecem o ser humano,

Que eu saiba humanizar as pessoas!

Onde a vida perdeu o sentido,

Que eu leve o sentido de viver!

Onde tantos me pedem um peixe,

Que eu saiba ensinar a pescar!

Onde tantos me pedem um pão,

Que eu saiba ensinar a semear!

Onde tantos estão sempre distantes,

Que eu seja alguém sempre presente!

Onde tantos sofrem de solidão que faz morrer,

Que eu seja a amiga que faz viver!

Onde tantos morrem na matéria que passa,

Que eu viva no espírito que fica!

Onde tantos olham para a terra,

Que eu saiba olhar para o céu!

Que Deus me proteja dos inimigos,

Que eu seja sempre do bem e muito feliz!

Nenhum comentário:

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.