quinta-feira, 27 de agosto de 2009

COMO É SER INDEPENDENTE?


Ser independente é trabalhar, fazer seu próprio sustento, ter seu dinheiro, manter sua vida sem depender de pais, familiares ou amigos. Nada melhor do que trabalhar e ganhar seu próprio dinheiro, sem ter que ficar dependendo de ninguém. Ser independente é bom, pois a pessoa pode conduzir sua vida, sem favores de ninguém. Um caminho para a independência no trabalho é estudar e estudar, isso garante o exercício de uma profissão e a competitividade no mercado de trabalho
Muitos sonham, mas são poucos aqueles que conseguem, efetivamente, tornarem-se financeiramente independentes. Por quê? Há muitas razões, porém certamente uma delas deve ser que uma pessoa jovem, em pleno vigor da juventude, sendo saudável, prefere viver intensamente o dia de hoje em vez de programar-se, adequadamente, para o futuro. Isso não é errado, mas apenas normal. Isto vale especialmente para um executivo, mas, também, para qualquer funcionário assalariado, razoavelmente satisfeito com seu salário.
O mesmo raciocínio vale para o autônomo, cujos negócios vão de vento em popa. Todas as profissões, funções ou trabalhos, sem exceção, estão sujeitos às grandes mudanças que estão ocorrendo atualmente no mundo. É melhor flagrar-se hoje desta constatação, de que isso está acontecendo, do que ter uma desagradável surpresa amanhã, quando não se poderá fazer mais nada a respeito!
Quem está preparado para os novos tempos? Acreditamos que todos, indistintamente, jovens ou pessoas de meia idade deveriam pensar, seriamente, a respeito do assunto e tomar medidas imediatas, a fim de preparar-se para estes novos tempos que já estão nos rondando faz alguns anos.
É interessante observar que algumas pessoas, em decorrência de não terem ainda qualquer respaldo financeiro, em determinado momento de suas vidas, são geralmente mais estressadas do que aquelas que já equacionaram, razoavelmente, estas mesmas finanças. Finalmente percebo que muitas pessoas, atualmente, estão totalmente despreparadas, financeiramente, para lidar com ocorrências fortuitas, imprevistos que lhes acontecem. Serão reféns e fortemente dependentes de esquemas complicados, caros e às vezes inviáveis. São pessoas frágeis, que não se amam, não correm para abraçar-se aos sonhos de um amanhã livre.

Nenhum comentário:

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.