quarta-feira, 3 de setembro de 2014

HORA MARCADA

 

8z9hop48tl4a0xovssk7[1]

Brisa suave, uma estrela insinua,

Que hoje será o dia da minha pele na tua.

Às doze horas é o compromisso,

Nem um nem outro será submisso,

Não haverá entrega antes disso.

Mas qual lugar será marcado,

Para esse enlace enamorado,

Na cama de folhas outonais?

Eu não sei, talvez entre os roseirais,

Fartos nos cultivos de antigos quintais,

A marcar encontros lascivos primaverais.

Isso tudo são lembranças infindas,

Dos dias e noites mais lindas,

Quando tu adentravas inseguro ainda.

Eu te esperava ansiosa,

Camisola de sede famosa,

Em cetim e flores cor-de-rosa.

E na hora marcada, nas estações do ano,

Tu chegavas igual cigano,

Com voz suave e doce de soprano.

Me tomavas entre teus braços,

Com carícias e afagos,

Fazia da noite mil fados.

6 comentários:

Antonio Francisco da Silva Dias disse...

Estimada professora, como é bom ler os seus poemas e textos. A sua escrita é primorosa, assim como os sentimentos e o olhar sobre a vida. Parabéns eterna mestra. Saudades de suas aulas, do convívio sereno, amigo, intelectual, humano.
Antônio Francisco da Silva Dias

Antonio Francisco da Silva Dias disse...

Estimada professora, como é bom ler os seus poemas e textos. A sua escrita é primorosa, assim como os sentimentos e o olhar sobre a vida. Parabéns eterna mestra. Saudades de suas aulas, do convívio sereno, amigo, intelectual, humano.
Antônio Francisco da Silva Dias

Osvaldo Guerra Silveira disse...

Hoje numa pesquisa sobre linguagem eu descobri seu blog e fiquei encantado com ele, ou melhor dizendo, com o conteúdo. Grande escritora, parabéns por nos brindar com tanta beleza e sabedoria.
Osvaldo Guerra

Dienes Lima Gomes disse...

É uma beleza esses seus textos. Revela-se uma grande escritora e poetiza brasileira.

Oscar Guedes Moreno disse...

Um talento que deve ser revelado ao Brasil. Parabéns grande escritora.

Maria Helena Martins disse...

Parabéns grande escritora. Eu sou fã de seus textos

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.