terça-feira, 2 de setembro de 2014

SOLIDÃO INTERIOR


0bS4a0AKB[1]
Solidão interior,
é quando a gente sente
que este não é o  nosso lugar,
não é o nosso tempo...
não é o nosso mundo.


Solidão interior,
é sentir saudade de alguém,
sem saber quem,
que a gente não conhece,
mas deseja encontrar,
e no peito aconchegar.


Solidão interior,
é quando mesmo se tem alguém do lado,
sente-se o vazio do mundo parado,
uma nostalgia sem uma culpa,
que dá fadiga e a alma inculca.


Solidão interior,
é sorrir e sentir-se triste,
é quando os dias passam devagar,
olha-se no relógio o tempo parar,
espera-se por alguém que não vai chegar.


Solidão interior,
é quando a gente encontra-se sem ninguém,
na escuridão das noites,
no clarão dos dias, olha céu azul celeste,
e sente o universo sem nenhum pedestre.


Solidão interior,
é quando a gente desabafa ao vento,
e ele desmancha nossas palavras no ar,
nada diz, fica no silenciar, cala, sibila,
deixa vazio o ar.


Solidão interior,
é quando a gente tem milhões de sentimentos,
mas escorrega no vazio,
olha o pelo do arrepio,
sente o palpitar dos momentos.


Solidão interior,
é sentir a ausência de não viver um amor,
é quando o coração grita um eco ‘seu’,
de um desejo que há muito nasceu,
de algo que não se encontrou ou se perdeu.


Solidão interior,
é quando a pessoa começa a acreditar
que o amor é apenas uma ilusão...
que fere e maltrata o coração,
uma dor que não cessa sem paixão.


Solidão interior,
é não ter o “nós’,
ser uma única voz,
e num momento da vida,
sentir saudade com a alma comovida.






























4 comentários:

Altair Miguel Assis disse...

Belíssima poesia, grande e primorosa escritora. Um encanto que comove o coração como o grito do amor numa prece-oração. Parabéns por nos brindar com textos tão lindos.

Antonio José da Silveira disse...

Essa "solidão interior" todo ser humano sente em algum momento da vida. Bela percepção que somente a poesia pode dizer tão bem.

Antonio José da Silveira disse...

Essa "solidão interior" todo ser humano sente em algum momento da vida. Bela percepção que somente a poesia pode dizer tão bem.

Antonio José da Silveira disse...

Essa "solidão interior" todo ser humano sente em algum momento da vida. Bela percepção que somente a poesia pode dizer tão bem.

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.