segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O BEIJO

 

 

O melhor beijo é aquele desejado,

O beijo do ser amado,

O beijo mais adequado,

O beijo da minha vontade,

Dado com docilidade.

O melhor beijo é aquele sem tempo,

Que toma a vida da gente,

De um jeito contente,

Pleno de sabor, odor,

Dado com muito calor.

O melhor beijo é aquele do ser amado,

Do ente admirado,

O amor querido e sonhado,

Nunca por ele enganado,

Sincero, fiel desejado.

O melhor beijo é aquele de quem se ama,

De quem se alimenta a chama,

De amor, ternura,

Dedicação, candura,

De vida eterna e pura.

2 comentários:

José Ruy Brandão disse...

É um soneto muito lindo e revelador desse sentimento sublime que é a 'Saudade'. Há tanta gente que não tem nada, nem saudade no coração. Eu parabenizo a poeta por tão lindos versos.
Eu me identifico com os versos do poema. Conheço o sentimento da SAUDADE. Ele não tem idade, deve existir no coração das pessoas. O mal da saudade é quando é causada de covardia, insensatez, irresponsabilidade de alguém. Mas tudo o tempo cura, ainda mais a ingratidão. Eu leio seus artigos, professora, eu os acho maravilhosos, grande dama. Cordial abraço.
José Ruy Brandão

Maria Amélia Ruiz disse...

"O beijo", algo saboroso, revelador de carinho, amor, paixão. Mas nem sempre confiança, entrega, dedicação. Quando é dado com carinho, por alguém decente, deixa essa saudade na gente.
Eu gostei muito, lindo.
Maria Amélia Ruiz

A vida da gente é feita assim: um dia o elogio, no outro a crítica. A arte de analisar o trabalho de alguém é uma tarefa um pouco árdua porque mexe diretamente com o ego do receptor, seja ele leitor crítico ou não crítico. Por isso, espero que os visitantes deste blog LINGUAGEM E CULTURA tenham coerência para discordar ou não das observações que aqui sejam feitas, mas que não deixem de expressar, em hipótese alguma, seus pontos de vista, para que aproveitemos esse espaço, não como um ambiente de “alfinetadas” e “assopradas”, mas de simultâneas, inéditas e inesquecíveis trocas de experiências.